Financiamento imobiliário voltará a crescer em 2018 após 3 anos, prevê Abecip

Queda do financiamento imobiliário com recursos da poupança foi de 60% nos últimos três anos; juro básico baixo, expansão das cadernetas de poupança e leve recuperação do emprego ajudará, prevê entidade.
Reuters
Por Reuters

30/01/2018

O financiamento imobiliário com recursos da poupança deve voltar a crescer em 2018, apoiado por juros menores e da recuperação da economia brasileira, após uma queda acumulada ao redor de 60% nos últimos três anos, afirmou nesta terça-feira (30) a entidade que representa as financiadoras de imóveis.

O volume financiado em dezembro com recursos da poupança (SBPE) caiu 31,6% sobre um ano antes, informou a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Com isso, o crédito no setor fechou 2017 em R$ 43,15 bilhões, consolidando uma queda de 7,4% contra o ano anterior.

Bancos reduzem juros do crédito imobiliário e acirram concorrência com a Caixa
“Felizmente parece que estamos deixando esse período para trás”, afirmou o presidente da Abecip, Gilberto de Abreu Filho. Em 2015 e em 2016, o setor registrou quedas de 33 e de 38,3%, respectivamente.

A previsão da Abecip é de que a combinação de juro básico na mínima histórica, expansão dos volumes da caderneta de poupança e leve recuperação dos níveis de emprego permitirá ao setor ter uma alta de 10% do crédito imobiliário pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) neste ano.

“Já faz tempo que não temos um conjunto tão favorável de indicadores para o setor”, disse Abreu Filho a jornalistas.

Para financiamentos imobiliários com recursos do FGTS, a previsão da Abecip é de que o volume de desembolsos cresça ao redor de 19% neste ano.

 

Fonte: G1

388