Como o mercado imobiliário tem usado a Inteligência Artificial para vender mais

No começo da década, havia no Brasil uma demanda enorme de um mercado imobiliário em ebulição. Por parte das construtoras e incorporadoras, com frequência eram investidos milhões de reais em publicidade e eventos de premiação para vendedores de imóveis (apesar de um sentimento quase unânime de desperdício).

Apesar disso, alguns clientes chegavam a esperar uma semana para receber uma resposta por e-mail de um corretor. Dá para imaginar isso? Você estava comprando um dos itens mais valiosos da sua vida e tinha que esperar tudo isso para receber uma simples mensagem.

O mercado imobiliário, sempre muito orientado ao volume (ou seja, quanto mais ligações, mais clientes e, teoricamente, vendas) havia criado uma cultura no ecossistema de marketing e publicidade totalmente voltado para a quantidade, com termos como mais, maior e mais rápido se transformando em mantras do segmento. Com isso, esquecia que, em geral, mais contatos e menor custo iam na contramão da qualidade, quando falamos em vendas.

Mas a chegada da inteligência artificial ao mercado imobiliário, com o uso dos robôs de atendimento, está alterando esse cenário. Ao adotar ferramentas de atendimento virtual é possível utilizar robôs para pré-qualificar os clientes. O que isso significa? O atendente virtual entrevista previamente o possível comprador e consegue, graças ao recurso de inteligência artificial, entender sua intenção de compra e direcioná-lo, então, ao corretor.

Estudos do setor mostram que apenas 40% das pessoas que entram em contato estão realmente interessadas em falar com o corretor. Com os robôs, é possível atender melhor o cliente e economizar o bem mais valioso para o profissional de imóveis, que é o seu tempo (afinal, esses minutos e horas ganhos resultam em novos negócios e, consequentemente, em mais dinheiro).

Assim o corretor recebe o chamado lead enriquecido, com dados como nome, e-mail, telefone, como pretende receber o contato do corretor, quanto pode pagar, quando pretende tomar a decisão, o que mais leva em consideração para tomar essa decisão.

O resultado, em um levantamento feito pela empresa Hypnobox com uma base de 2.200 atendimentos por meio de robôs, indicam que a conversão entre “lead” e venda, quando pré-atendida pelo robô, teve uma taxa de conversão 8 vezes maior.

A tecnologia de inteligência artificial chegou para ficar. E as empresas e profissionais precisam estar preparados para lidar com ela, para atender melhor o cliente e manter a competitividade de seus negócios.

Fonte: http://idgnow.com.br/internet/2018/04/09/como-o-mercado-imobiliario-tem-usado-a-inteligencia-artificial-para-vender-mais/

377