Michel Temer anuncia 50 mil novas casas do Minha Casa Minha Vida na abertura do 90º ENIC

O governo federal vai contratar mais 50 mil unidades no Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) em 2018. O anúncio foi feito pelo presidente Michel Temer, na noite da quarta-feira (16/05), durante abertura do 90º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), na cidade de Florianópolis (SC). Em seu pronunciamento, Temer brincou que “não poderia chegar ao evento de mãos abanando” e destacou a importância da indústria da construção para o país. Aplaudido por uma plateia com mais de 1.200 empresários, dirigentes e profissionais do setor, o presidente declarou que voltaria à Brasília “animado e com a alma pra cima” ao participar de um encontro importante. “Nesse esforço de erguer um Brasil cada vez mais justo e próspero, a construção civil é uma aliada indispensável, até pelo fato de que gera muitos empregos”, disse o presidente da República.

Temer viajou a Florianópolis acompanhado pelos ministros das Cidades, Alexandre Baldy; do Planejamento, Esteves Colnago; do Trabalho, Helton Yomura; da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima; do Turismo, Vinícius Lummertz; e pelo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), Dyogo Oliveira. “Eu volto para Brasília animadíssimo. Que muitas e muitas vezes, nós ficamos lá na nossa sala e você, o governante, ficando na sala, só recebe problemas. Às vezes até desalento, às vezes desânimo”, afirmou. “Diferentemente, quando venho aqui, Zé Carlos, e encontro essa vibração, encontro todos os senhores e senhoras, sentados disciplinadamente durante horas para nos ouvir, eu digo: “Eu estou com a anima animada, eu estou com a alma para cima”, disse o presidente.

Também participaram da abertura o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins; e da Associação das Indústrias da Construção Civil/SC (ASICC), Marco Aurélio Alicanta – entidades promotora e realizadora do evento; e os presidentes da Fiesc, Glauco José Cortez; do Conselho Nacional do Sesi, João Henrique de Almeida Souza; o Governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira; o prefeito de Florianópolis, Gean Marques Loureiro; e o vice-presidente de Habitação da Caixa Econômico a Federal, Paulo Antunes.

“A presença do presidente da República e de sua equipe é mais um sinal da sua sensibilidade perante o nosso setor. É uma demonstração da seriedade com que trata os temas associados à um segmento que busca caminhos para recuperar seu desempenho e resgatar seu papel como grande gerador de empregos, renda e dignidade para o cidadão”, disse o presidente da CBIC. Michel Temer foi enfático ao destacar a importância do setor, citada mais de uma vez. “A Construção Civil tem uma forte dimensão social, porque é geradora de empregos e desde a primeira hora do meu governo isso foi prioridade”, frisou.

O presidente da República citou a Constituição, para apontar o que considera um de seus princípios fundamentais, que é a garantia da dignidade da pessoa humana. Segundo Temer, não há coisa mais indigna do que alguém que está desempregado. “Temos que prestigiar um dos mais sagrados direitos sociais, que é o direito ao emprego. Por isso quando venho a este encontro, venho para revelar a importância dele e da Construção Civil para o país”, pontuou.

RESPOSTA AOS CRÍTICOS – Num breve retrospecto de seus dois anos à frente do governo, Temer salientou que quando assumiu a presidência, o país passava por uma recessão e que para sair dela foi um longo trabalho. Entre as estatais falou sobre a Petrobras e o Banco do Brasil. “A Petrobras recuperou o seu valor ao longo desses dois anos. Há três anos a atrás ela era desprezada. Hoje ela voltou a ganhar credibilidade no cenário nacional e internacional. A ação dela cresceu substancialmente, aliás neste primeiro trimestre de 2018, a Petrobras teve um lucro de 7 bilhões de reais”, informou.

Quanto ao Banco do Brasil, Temer disse que a ação da estatal valia R$ 15 e o patrimônio valia 35 bilhões de reais. De acordo com o presidente, atualmente o valor da ação é de R$ 45 e o valor do patrimônio de 125 bilhões de reais. Temer acredita que os opositores ao seu governo não querem que o Brasil cresça. “Quem quiser se opor a governo terá que dizer o seguinte: eu sou contra o teto para conter os gastos públicos; não quero essa inflação ridícula de 2,8%, mas quero aquela de quase 11%; não quero os juros menores de 6,5% da taxa Selic, mas quero 14,75%.”, disparou.

Realizado pela ASICC-SC e promovido pela CBIC, o 90 ENIC vai até o dia 18, com uma programação que envolve uma feira de exposições e palestras diárias. Principal evento do calendário anual da construção, o ENIC mobiliza palestrantes nacionais e internacionais, entre os mais respeitados atores nos diversos temas da indústria da construção.

Fonte: CBIC Hoje

190